FANDOM



Section headingEdit

COMENTÁRIOS ACERCA DA PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA O ENSINO MÉDIO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL INTEGRADA AO ENSINO MÉDIO 2011-2014

Integrantes: Fabiana Machado, Leonardo Silveira, Luiz Manoel Oliveira Alves, Márjori Moreira, Renata Vieira da Cunha Araújo.

Para uma melhor visualização da contribuição de cada integrante, o texto será redigido em terceira pessoa.

Segundo a nova proposta pedagógica para o Ensino Médio Politécnico (2011/2014): “do ponto de vista da organização curricular, a politecnia supõe novas formas de seleção e organização dos conteúdos a partir da prática social, contemplando o diálogo entre as áreas de conhecimento; supõe a primazia da qualidade da relação com o conhecimento pelo protagonismo do aluno sobre a quantidade de conteúdos apropriados de forma mecânica; supõe a primazia do significado social do conhecimento sobre os critérios formais inerentes à lógica disciplinar”.

Para a colega Renata, tal proposta lembra muito o documentário “Pro dia nascer feliz” realizado em 2006 no tocante a interdisciplinariedade versus precariedade escolar, tanto em termos de escassez de material e infra-estrutura nas escola bem como o olhar cansado e desacreditado de muitos professores. Tal troca e cooperação, entre os profissionais em atividades em comum desenvolvidas com os alunos, em algumas escolas, é quase impossível tendo em vista a quase total falta de diálogo entre professores e alunos,  e a falta de incentivo tanto salarial, e a inexistência de uma formação continuada por parte destes com o respaldo do Governo.

A proposta realmente é positiva, e visa resgatar crianças e jovens para dentro das escolas, de forma que todos consigam concluir esta etapa com uma maior abrangência e aproximação com o social, o tecnológico e a interdisciplinariedade que quase não se vê nas escolas atualmente.

A colega Márjori, frisa que é demasiadamente visível que as estruturas da educação básica necessitam de uma maior atenção por parte dos governos e sociedade. Atendendo às necessidades de maior urgência, acredita que esta nova proposta vem ao encontro do que todos esperam. Afirma ainda que a formação integral facilitará a vida de muitos jovens que para auxiliar na renda familiar acabam deixando os estudos de lado em busca de trabalho. Devido à defasagem no ensino escolar, muitos destes jovens, também encontram no trabalho um fator contribuidor para buscar aperfeiçoamento profissional em cursos técnicos pagos.

A formação integrada, de alguma maneira lembra o que Karl Marx (1818-1883) almejava com a sua educação emancipatória. Ele buscava unir teoria e prática, rompendo assim com o método conteudista de ensino. Sendo assim, dentro das perspectivas nas quais se seguem as propostas para o Ensino Médio visando as organizações dos currículos dos cursos de Ensino Médio, vê percepções claras e que compreendem uma situação abrangente, na qual se aplicam as relações com o trabalho na educação, facilitando assim o ingresso destes jovens neste mundo cada vez mais dinâmico.

            Para o colega Leonardo, o sucesso da proposta pedagógica se dará somente  com o empenho coletivo dos professores e das entidades pertinentes à educação. Pois o que falta, é a boa vontade de todos entrarem em um senso comum priorizando a educação de jovens e inserindo os mesmo dentro da escola de tal forma que eles realmente terminem toda a etapa colegial sem defasagem. Salienta ainda que, a participação dos pais é fundamental para essa etapa da criança/jovem, mantendo assim a parceria mútua entre pais, professores e alunos para um bem comum que é melhorar a vida do estudante em todos os aspectos.

            O colega Luiz concorda com os demais, e frisa que uma parceria com algum Centro de Saúde contribuiria a qualidade de vida dos alunos, tais como alunos que precisam de atendimento psicológico como dislexia, o que atualmente, é muito recorrente, e esse atendimento especifico somente se observa em escolas particulares, e não em públicas.

            A colega Fabiana, finaliza o debate afirmando que o problema da diversidade social é algo presente, e que a s escolas deveriam ter algum núcleo especifico para isso visando reduzir tais vulnerabilidades sociais.

            O grupo conclui que tal proposta é deveras importante para as escolas, no entanto, não pode apenas ficar no papel e no esquecimento. O estudo é algo que deve ser priorizado desde que a criança coloca os pés na escola, e reduzir a defasagem escolar é mais que um compromisso, mas sim, uma obrigação.

Section headingEdit

Write the second section of your page here.